FAIXAS DO DISCO














RAÇAS BRASIL
Luiz Carlos Da Vila / Carlos Senna / Lourenço

O samba é Umbanda, é Quimbanda
É pagode e é também Candomblé
Lambada, Maxixe, Baião, Frevo, Afoxé
É a porção mais pura de uma mistura que surgiu
O samba enlaça a soma das raças Brasil

A falta de luz
Não tira do samba o seu estrelato
Mantém o compasso no brilho do prato
Vivendo e mantendo a sua cadência
O samba conduz
E ele reluz a verdade de fato
É pulso de aço, merece um bom trato
O samba vai sendo a voz da resistência

O samba é cultura, ele é curador
Tem a estrutura de um grande amor
É coisa divina e coisa igual ninguém viu
O samba enlaça a soma das raças Brasil
O samba enlaça a soma das raças Brasil

SEMENTE DO SAMBA
Eduardo Medrado / Kleber Rodrigues

Plante a semente do samba
Samba da gente, samba que é flor e raiz
Regue a semente do samba
E colha contente o fruto de ser mais feliz.

Planta que brota lá no solo dos corações
Flor reluzente que enfeita os nossos quintais
Coisa da gente, broto e semente
Que nasce inocente e não morre jamais

A Mangueira que frutificou
Salgueiro que tanta gente abrigou
E o sombrear da Tamarineira
Aquela sementeira que o samba espalhou

A Rosa de Ouro brotou na garoa
Portela nos deu Candeia que madeira boa
Se o tronco Nogueira é nó na madeira
O Paulo é Pinheiro que nunca envergou

São flores, perfumes e cores
Que exalam do samba e encantam a vida
São raras, realmente raras,
Docementes Clara beleza que afaga
Que nunca se apaga
Guerreira da raça, não canso de ouvir

São lindas todas têm a sina
Da flor Clementina que é ser de Jesus
E ainda inspiram as rimas que hoje compus

NÃO IMPORTA MAIS O DIA
Ana Costa / Jorge Agrião / Bianca Calcagni

Dê graças a Deus se é fim de semana
emoção não engana, ela quer te levar
Pra roda de samba, amor quem é bamba
Nunca descamba, só faz balançar

Se o seu coração bate feito batuqueiro
Ao som do pandeiro sem descompassar
Se entregue de corpo e alma brasileira
Pro som bem maneiro que vai te ganhar

Qualquer trabalhador pode participar
Prestando atenção no nosso enredo
Já não é mais segredo, no nosso terreiro
De tarde e de noite o negocio é sambar

Deita e rola, tem magia
Não importa mais o dia
Embriaga, contagia
É o meu samba que alegria

Dele emana a paz que irradia
E faz o povo cantar
Entra de sola
Ganha alforria
Cante pra se libertar

SUPREMO E DIVINAL
Fred Camacho / Arlindo Cruz / Almir Guineto

É você quem me faz bem
Eu custei a acreditar
Sou feliz e digo amém
Eu nasci pra te amar
Quanto tempo se passou
E sozinho me perdi
O amor me encontrou
Desde o dia em que eu te vi

Basta olhar nos meus olhos
Dá pra ver que eu te chamo
Minha vida, eu te amo

Nosso amor é o maior
É um sonho tão real
Tem sabor de um vinho bom
É supremo, é divinal

Quando eu beijo a sua boca
Fecho os olhos e não vejo a tristeza
E a paixão que não é pouca
Enche o mundo de beleza

BRASILEIRO DA GEMA
Marceu Vieira / Tuninho Galante

Rogo a São Sebastião
Iluminação pro meu caminhar
O meu samba exaltação
Tem a pretensão de homenagear
Terra tão linda assim não há

Padroeiro guardião
Abro o coração para te apelar
Encomenda a solução pra desilusão
Pra tanto pesar
Terra tão linda assim não há

Pede ao Cristo Redentor
Se demais não for salve Paquetá
“Simpatia é Quese Amor” canta em teu louvor
Fazendo de altar a Visconde de Pirajá

Guarda bem perto de ti
O drible do Didi, choro de lembrar
O mar lava a minha dor
Santo, por favor, pede a Iemanjá
Pra dos erros me perdoar

Sou “Escravo da Mauá”,
Vou ali “Meu bem”, mas “Eu volto já”
Lá no “Pagode do Trem”, samba nota 100
Eu vou me acabar nos “Boêmios de Irajá!”
Terra tão linda assim não há

Santa Cruz, Penha, Camará,
E a Mangueira se enfeitar
E o Império a te coroar
Bateria já vai parar
Salve Oswaldo Cruz!

OLHOS FELIZES
Marina Lima / Antonio Cícero

Vem cá, amor, me dá um beijo
Pra mim o seu olhar
Tem ondas feito o mar
Vem se quebrar em mim que eu deixo
Pois é só seu o meu arpejo de paixão
Gente bonita é um tição
Que atiça a vida do coração
Ver se não evita, não

Eu gosto de olhar o mundo
Não ligo pro que dizem
Meus olhos são felizes
Eles não querem ser profundos
Deixe o olhar ser vagabundo
Ser em vão
Gente bonita é um tição
Que atiça a vida do coração
Ver se não evita, não

Vem cá, amor, me dá um beijo
O mundo dá mil voltas
E mil reviravoltas
Não para nem corta o desejo
Veja o meu corpo assim aceso
De verão
Gente bonita é um tição
Que atiça a vida do coração
Ver se não evita, não

NÃO SEI O QUE DÁ
Zélia Duncan / Ana Costa / Mart'nália
Participação Especial: Mart'nália

Sei lá, é um vazio que dá
Um vôo sem asa pra voar
Uma voz sem boca pra cantar
Não sei, naõ sei, não sei o que é que dá
Sei não, é um vazio
Um arrepio sem fogueira pra esquentar
É gostar da vida
Sem vida pra segurar, não sei o que é que dá
É o amor, sem gesto pra expressar
Como sereia metade anseia, metade é mar

Sei lá
É um vazio que dá
Um vôo sem asa pra voar
Uma voz sem boca pra cantar
Não sei, naõ sei, não sei o que é que dá
É o amor, sem gesto pra expressar
Como sereia metade anseia, metade é mar

É feito um prazer
Sem ter como desfrutar
Falta alguma coisa
Alguma peça nessa engrenagem
Miragem de amor, sei lá
Tava aqui pensando
Tenho pão, tenho teto
Mas é incerto porque falta você voltar
É o amor, sem gesto pra expressar
Como sereia metade anseia, metade é mar

PERDI
Fred Camacho / Alceu Maia

Vejo o tempo escoar o dia
E cadê minha alegria?
Sinto a noite chegar vazia
E o breu invadir meu coração
Tanta gente feliz agora
E eu aqui tão jogada fora
A saudade não vai embora
Me apavora essa louca solidão

Que me faz mal, é nada de bom
Quando vou ser feliz?
Se fui, não sei
Ou já esqueci
Desde que te perdi

Sonhei demais,
Chorei demais,
Perdi a paz
Perdi…

FELICIDADE
Ana Costa

Sempre que olho pro céu
Quando a noite vem chegando
Juro que vou te ver de novo
Tentando te achar no meio daquele povo
Tua luz que busco pra iluminar
Teu calor que conto pra me conduzir
Penso que posso ser feliz

Você não paga pra ver
Por quê? Me diz, até quando?
Que lua boa é essa que me traz sempre aqui
Para junto de ti
Não me perca de novo
Tua luz que busco pra iluminar
Teu calor que conto pra me conduzir
Penso que posso ser feliz

Felicidade,
Palavra que se propaga
No espaço tão curto entre eu e você

Felicidade,
Sensação de liberdade
Que faz do amor um porto seguro
Nessa louca cidade

Felicidade,
Quem não quer felicidade
Ficar longe da maldade
Incerteza, indecisão
E você que fica aí
Sem escutar o coração
Tá esperando o que?

ONDE QUER QUE EU VÁ
Cláudio Jorge

Portugal ou Japão
Paquistão, Pequim
Não importa o lugar
Vai ser sempre assim

Onde eu for vou levar
O amor que você quis me dar
Alto mar ou sertão
Pelo céu
Pelo chão
Nosso amor vai estar
Onde quer que eu vá

MULATA TRABALHADA NA CINTURA
Mombaça

Totalmente insana
Joana arranjou um batente em Copacabana
Cismou de vender buginganga pra gente bacana
Turista tarado atrás de uma vida mundana

Descolou uma grana
Pegou um vestino emprestado com a amiga no Lama’s
Cansou dessa vida de pobre, de ser suburbana
Queria o caminho das pedras que conduz à fama

Sabia que tinha uma carta na manga
Sabia que era bonita e jeitosa
Sabia da mercadoria que Deus lhe dera

Todo mundo quer uma mulata trabalhada na cintura
Peito grande e bunda dura
Joana teve que se virar em duas
Enquanto Ana cuidava das costas, Jô batia de frente

Joana sabia fazer essa leitura
E enfrentar as ruas de Copacabana

Na moral, na real
Sem se vender, sem se perder
Na moral, na real
Sem destruir, pra construir
Na moral, na real
Sem ter que se prostituir
Na moral, na real
Sem fumacê, pra revender
Na moral, na real
Sem se anular, sem se perder

PRA QUE PEDIR PERDÃO
Moacyr Luz / Aldir Blanc
Participação Especial: Oswaldo Cavalo

Se é pra recordar dessa maneira
Sempre causando desprazer
Jogando fora a vida em mais uma bebedeira
Ó, sinceramente, é preferível me esquecer
Eu te prometi mundos e fundos
Mas não queria te magoar
Eu não resisto aos botequins mais vagabundos
Mas não pretendia te envergonhar
Marquei bobeira…
Vi muitas vezes o destino
Ir na direção errada
A bondade virar completo desatino
A carícia se transformando em bofetada
Eu sou rolimã numa ladeira
Não tenho o vício da ilusão
Hoje eu vejo as coisas como são
Estrela é só um incêndio na solidão
Se eu feri teu sonho em pleno vôo
Pra que pedir perdão se eu não me perdôo
QUINTAL DO CÉU
Wilson Moreira / Jorge Aragão
Participação Especial: Analimar

Um bangalô
No mais lindo canto da cidade
Um grande amor
Para completar minha felicidade
Canção de poesia, primazia
A inspiração toma conta de mim
Meu coração
Acende o interior
A luminosidade é a luz do nosso amor
A luminosidade é a luz do nosso amor

Quintal do céu, porta aberta ao recebê-la
Estrela, divina luz
Da janela a bela fé conduz
A um poema que hoje eu mesmo fiz
Vem me fazer feliz
Sentindo assim
O meu interior
A luminosidade é a luz do nosso amor
A luminosidade é a luz do nosso amor
Um bangalô…

MEU CARNAVAL
Celso Fonseca / Ronaldo Bastos

Vem que chegou nosso dia
Vem se acabar na folia
Dez eu dou no samba
Que você fez pra alegrar meu carnaval

Põe sua escola na rua
Vem ser feliz na avenida
Vem viver a vida com alegria
Vem brincar o carnaval

Me beija na boca
Me leva pra onde o samba me levar
Me abraça, me pega
E segue o samba até o sol raiar